Uma foto para a posteridade

16/02/2016
Paulo Freixinho Arte

Já me disseram: “fazia-te diferente, tiras poucas fotos”… é… nas Redes Sociais divulgo, essencialmente, o meu trabalho (sou um “chato”) e, sinceramente, não gosto de tirar fotos, raramente fico bem e muitas vezes fico com “cara de parvo” (mesmo quando não estou a fazer de propósito)… mas pronto… com a música vejo-me obrigado a fazer sessões de fotografia e, aos poucos, vou tendo uma relação com a máquina fotográfica um bocadinho melhor.

Bem, tudo isto para dizer que tirei uma fotografia para a posteridade… o autor junto às suas Portas Fernando Pessoa.

Amplexos e ósculos!…