fbpx

Palavras Cruzadas online #77 – Florbela Espanca

Florbela Espanca

Nas Palavras Cruzadas aqui publicadas, dedicadas à poetisa Florbela Espanca, destaco as seguintes pistas:

  • (…) Espanca, poetisa portuguesa (Vila Viçosa, 1894 – Matosinhos, 1930).
  • “Sinto hoje a alma cheia de (…)!”, início do poema Neurastenia, em ‘Livro de Mágoas’.
  • Irmão de Florbela Espanca.
  • Poema que diz: “O meu País de sonho e de ansiedade,/Não sei se esta quimera que me assombra,/É feita de mentira ou de verdade!”, em ‘Charneca em Flor’.
  • ‘Charneca em (…)’, obra póstuma de Florbela Espanca (1931).
  • “Deus! Como é triste a hora quando morre…/O instante que foge, voa, e passa…/Fiozinho d’água triste… a (…) corre…”, do poema Hora que Passa, em ’Livro de Sóror Saudade’.
  • A Minha (…), poema que diz: “A minha Dor é um convento ideal/Cheio de claustros, sombras, arcarias,/Aonde a pedra em convulsões sombrias/Tem linhas dum requinte escultural.”, em ‘Livro de Mágoas’.Ser (…), soneto imortalizado pelo grupo musical português Trovante.
08/12/2018

Dificuldade: 2

Palavras Cruzadas por email

Palavras Cruzadas por email

Junte-se à nossa comunidade de amigos que adoram Palavras Cruzadas e receba regularmente, passatempos, novidades, truques e dicas.

Recebido. A melhor decisão que já tomou!

Pin It on Pinterest

Share This